Embora a castração seja consenso entre os profissionais da medicina veterinária que atuam com ética profissional e social, ainda é frequente recebermos dúvidas e perguntas sobre a necessidade da castração de animais domésticos. É muito comum pensar que cães e gatos precisam procriar (por uma exigência de sua natureza) ou ainda que a castração é uma violação à saúde dos animais. Tem quem pense, inclusive, que a castração deixa cães e gatos sem sua “masculinidade”.

A Celebridade Vira-Lata atua há 9 anos pela educação e conscientização dos seres humanos e por isso separamos alguns pontos que explicam porque todo animal doméstico, hoje, precisa ser castrado.

Que tal apoiar a nosso mutirão de castração? Serão mais 500 animais carentes atendidos. Apoie hoje 🙂


PROBLEMAS DE SAÚDE

Você sabia que a atividade hormonal nos cães que vivem em ambiente doméstico sem precisar “lutar pela própria sobrevivência” se torna excessiva? Como conseqüência a saúde dos animais domésticos fica desequilibrada. A castração, portanto, é também a adequação destes animais à condição de vida doméstica.

A expectativa de vida dos cães, uma vez que saíram do seu ambiente natural e viraram domésticos, aumentou muito e assim, acaba “sobrando tempo” para os hormônios criarem problemas de saúde (na natureza e nas ruas podemos falar em 20% dos animais que nascem sobrevivem e que sua expectativa média de vida é de 2,5 anos. Já sob nossos cuidados estes números passam para 100% de sobreviventes e expectativa média de vida de 15 anos).

Quando não são castrados, os machos ficam o tempo todo preparados para procriar (eles sentem o cheiro de uma fêmea no cio num raio de 2km). Isso significa que se divertem menos brincando e não tem o emocional equilibrado. Câncer de testículo e próstata é quase certo com a atividade hormonal excessiva, além dos riscos de infecções urinárias e DSTs. Os problemas causados pelo excesso de hormônio são perturbadores. Estas são algumas das razões pelas quais já castramos mais de 10.000 animais.

BENEFÍCIOS

Existem benefícios que surgem com a castração também. Ou seja, além de ela não fazer mal, ainda traz ganhos para a vida do próprio animal castrado e para a tranquilidade de seus tutores. Por exemplo, a ansiedade, agressividade, e outros comportamentos que podem causar fugas e tragédias decorrentes, são diminuídas a zero.

No caso das fêmeas, crias indesejadas (e os riscos da gravidez), desconforto do cio (elas também têm enjôos, cólicas etc.), altíssimo risco de câncer de mama, ovário, útero, piometra, gravidez psicológica e os mesmos desvios comportamentais dos machos são também evitados dando qualidade de vida para o seu animal.

Tudo isso sem falar dos roubos de cães de raça, que são infelizmente bastante frequentes, para que virem matrizes e/ou pardeadores para criadores que irão explorá-los na triste comercialização de filhotes.

LEGISLAÇÃO E POLÍTICA PÚBLICA

Em São Paulo, como em diversas outras cidades do país, a castração e esterilização é lei. Isto é, vender e/ou entregar cachorros (filhotes ou não) sem castrar é contravenção. É crime.

Controle populacional de animais domésticos e questão de política pública e de saúde. Infelizmente no Brasil nossos políticos não levam isso tão a sério (embora, claro, existam alguns políticos dedicados à causa), porém em outros locais como a Holanda, por exemplo, a população de animais de rua não existe mais. As campanhas de castração tem sua função e os benefícios são dos próprios animais.

A reprodução de animais é sim um forte vetor do abandono (prática cruel e criminosa ainda muito recorrente no Brasil), pois afinal animais demandam atenção, responsabilidade e gastos. Não é barato ter um animal doméstico e por esta – entre outras razões – filhotes doados, comprados e até nascidos dentro de muitas casas no país tem seu destino nas ruas onde em sua grande maioria não irão sobreviver.

Cães e gatos esperam aos montes em filas para a adoção entre ONGs e protetores independentes. Estes animais ficam sem uma importante parcela de sua saúde mental e comportamental que é o vínculo afetivo seguro e duradouro com uma família humana. Então, se você pensa em adquirir ou conhece alguém que quer um animal de estimação, a adoção é o caminho correto, ético e responsável.

SE VOCÊ AINDA TEM DÚVIDAS

Se você ainda reluta em castrar seu cão, converse com veterinários que tenham ética. A castração é um consenso, não uma polêmica na medicina veterinária. Informe-se com pessoas sérias que trabalham com comportamento de cães. Os cães não vão acabar se os castrarmos. Há milhões de cães abandonados e muito antes deles acabarem nós comemoraremos zero abandono e saberemos localizar todos (a Holanda conseguiu, é possível!).

Castrar seu animal é conveniente para você que diminui problemas comportamentais e gastos com a saúde do animal, é importante para o animal que será mais feliz e saudável e  é um ato responsável com a causa animal, com a saúde pública e meio ambiente.

Invista em castrações – clique aqui e dê a sua contribuição agora mesmo.

#NãoCompreAdote
#QuemAmaCastra

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blog

Últimas postagens

Newsletter

Newsletter

Assine nossa newsletter e receba notícias e informativos